'Mini Neymar', jovem da base do Avaí de Porto Velho é aposta rondoniense

25/06/2013 09:33

Franzino, com aparência frágil e de porte pequeno para a idade, Rodrigo Lourenço, de nove anos, não tinha muitas expectativas no futebol. De família humilde, a única proximidade que ele tinha com o esporte era pela televisão, em casa, nas partidas do Fluminense, time de coração do pai. Mas esse futuro próximo mudaria com a chegada da escolinha do Avaí em Porto Velho.
- Comecei acompanhando um amigo meu nos treinos e ficava lá, perto do campo só olhando o que eles faziam. Tinha muita vontade de jogar mas minha família não podia comprar o material, então só olhava mesmo - conta o garoto, tímido com a primeira entrevista.

Mas logo ele chamaria a atenção da diretoria da escolinha, que ao realizar o primeiro teste com o pequeno viu que ele tinha talento para o futebol. A partir daí a história dele começaria a mudar. O professor Guido Quêtto aposta nele como o futuro Neymar.
- Rodriguinho vinha sempre com um outro atleta nosso, que era amigo de rua e ficava sempre no cantinho, assistindo o treino. A gente sempre observava ele atento, vendo os atletas, e esse colega disse que ele jogava bem também e que merecia uma chance, pois só ainda não estava com a gente porque não tinha condições de pagar a escolinha. A diretoria se reuniu com os professores a assim resolvemos dar essa oportunidade, que não vai ser perdida nem por eles, nem pelo Avaí - ressalta o professor.

Pra começar não faltava mais nada. Nem uniforme, que foi doado pelo clube, nem chuteira, que foi dada a Rodriguinho como presente de um pai de aluno da escolinha. O pequeno Neymar, como é conhecido entre os colegas, logo iniciou os treinamentos. Mas antes passou pelas recomendações da senhora Laura Lourenço, mãe e apaixonada pelo pequeno.
- Ela deu um grito de felicidade que até eu me assutei (risos), e depois disse que a partir de agora eu não poderia mais tirar notas baixas nem faltar os treinos, que essa era a oportunidade da minha vida. E como era o que eu queria, não foi difícil gostar e me dedicar - explica Rodrigo.

Partindo pra parte técnica, ele é habilidoso e polivalente. Sabe pedalar, defender e não perde chances de gol. Dentro e fora de campo, quem o conhece é só elogios.
- Comparo ele com o Neymar sem medo de errar. Pequeno, habilidoso e talentoso, ele ajuda a equipe com uma força de vontade que poucos tem. Já jogou num amistoso contra um time de Porto Velho e mostrou que tem condições de seguir bem. Ele ia pra cima, e cada bola que pegava a torcida enlouquecia - diz Guido.

A primeira oportunidade na avaliação do Avaí ainda não surgiu, mas enquanto isso, o trabalho segue em Rondônia.
- Algumas pessoas entram em nossas vidas inesperadamente, e o Rodrigo é uma delas. É um prazer trabalhar o talento dele e com certeza o futebol terá, logo, um novo craque - finaliza o treinador.

Rodrigo Lourenço, 9 anos, recebe todo apoio e estrutura do clube na capital

Fonte: https://www.acriticadehumaita.com.br/Noticia.asp?ID=1575

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!